Propagandas que me irritam I


Não sei se todos sabem mas, além de cronista, exerço a função de redator publicitário e estar em contato com este universo me faz gostar ou não do que vem sendo produzido por aí. Todo mundo tem sua propaganda favorita e aquela que dá vontade de vomitar como a menina do exorcista. E são essas últimas que me fizeram criar um espaço única e exclusivamente para detonar os comerciais que me fazem pular de canal durante 30 segundos. São sempre 3 filmes que serão devidamente execrados com palavras duras.

1 - Engov

O Engov é um produto indicado para aliviar os sintomas da ressaca. Mas o comercial que está atualmente no ar me dá enjôo. Em uma breve sinopse, uma mulher conversa com outra, aparentemente no trabalho, e comentam sobre a farra da noite passada, insinuando que beberam muito e que aprontaram de montão. Parece tudo ok, se não fosse um detalhe. A noite passada, aquela da bagunça, da piração, da vida loca, da sem noção foi em um...karaokê. Ah, faça-me um favor, né? E para piorar, a cena do karaokê mostra elas cantando o jingle do engov. Ah, faça-me um favor 2, ok? Nada contra o karaokê. É até um programa divertido eventualmente a cada 18 anos, mas longe de provocar uma ressaca moral. Quilômetros de distância de ser uma piração desenfreada. A imagem que tenho do karaokê é de uma mesa cheia de gente animada, provavelmente funcionárias de uma única empresa, mais 2 ou 3 mesas com grupos reduzidos de amigos onde só 1 canta e 1 japonês  (ou oriental) solitário no canto do palco, pronto para cantarolar as canções japonesas de sucesso dos anos 70. Bem diferente do que tentaram passar. Podemos ficar embriagados no karaokê, sim. Mas não como elas estavam demonstrando. O mais audaz que você pode fazer em uma noite de karaokê é cantar Sidney Magal e se soltar. No máximo. E se cantar o jingle do produto foi muito louco pra vocês, moçoilas, duvido que tenham ficado com ressaca.

2 - Havaianas

O chinelo mais famoso do Brasil, conhecido por seus comerciais cheios de humor em situações corriqueiras, errou feio dessa vez. Não ficou nem aos pés do que vinha produzindo. E por 2 motivos. Mas antes uma breve sinopse. O "ator" convidado, o "famoso" Chay Suede, fez uma comparação de sua vida antes e depois da "fama". O cenário é a orla de uma praia qualquer. Ele começa com o depois, onde ele se aproxima de uma mulher e diz: "Que linda suas havaianas" e ela responde: "Chay!!!"e o abraça. Depois o antes da fama. Ele se aproxima de outra mulher e faz a mesma afirmação. E ela responde: "Sai!!!". Péim, péim, péim. Red Alert, Red Alert!! Piadoca fraca detected!! Selo "Praça é Nossa" de qualidade. ISO Zorra Toral 9002. Entenderam? Depois da fama, a mulher diz CHAY e antes, diz SAI. Hein? Hein? R-I-D-Í-C-U-L-O. Quiseram enfiar um cara fraco só porque está sem força na mídia e não souberam como inserí-lo no contexto. A prova é que no primeiro tempo, quando a mulher diz "Chay!" aparecem outras 2 mulheres num canto e uma dizendo "Chay Suede", pra explicar para os telespectadores que não entenderam quem era a "celebridade".

3 - Friboi

Acho que se fizerem uma pesquisa de opinião, a propaganda do Friboi talvez tenha o maior índice de rejeição entre todas que estão no ar. Começou com a escolha do garoto-propaganda, Sir Tony Ramos, o grande urso, o ator que toma Instant Hair Plus com 2 cubos de gelo. Juro, eu não compro uma carne que o Tony Ramos diz que é de confiança. Sempre acho que encontrarei pelos nela. Depois veio a escolha do Roberto Carlos, que nem merece comentários porque acho "mancada" e estou comentando campanhas atuais. Agora vem o filme onde Tonyco Capilar Ramos faz uma surpresa em estabelecimentos para saber se tem Friboi neles. Pessoal da Friboi, na boa, vocês ainda acham que acreditamos que essa "surpresa" é verídica? E de novo insisto: Você dono de frigorífico, que tem padrões rígidos de qualidade e higiene, deixaria um tapete ambulante entrar no recinto e encher suas carnes nobres de pelos? E outra, o trabalhador tá lá, dando um duro, cortando carne pesada, cheiro forte, sangue para todo lado e vem o Tony Ramos querer saber se é Friboi? Eu arrancaria o seu paletó de peruca e deixaria ele nu, na frente das câmeras e gritaria: Friboi, carne sem pelos é carne de confiança.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O negão da piroca

Pombinha Manca

Pergunta indiscreta