Lei da Circularidade (crônica retrô)


Olha que interessante. Estava mexendo com uma caneta, daquelas que você abre para tirar a carga. Daí eu fiquei brincando de abrir e fechar, abrir e fechar. De repente veio uma luz típica dos gênios, como o "eureka" de Einstein e a maçã de Isaac Newton. Eu percebi que para abrí-la é necessário fazer um movimento circular anti-horário e para fechá-la, horário. O genial é que isso é universal. Todo gênio deve comprovar sua teoria na prática. E lá fui eu, rumo à cozinha, testar este teorema na torneira. Uau! É a pura verdade. Abri no sentido anti-horário e fechei no horário. Fui além. Testei uma porca e parafuso. Mesma coisa. Preciso divulgar ao mundo:

Lei da circularidade de abertura e fechadura relacionada com padrões temporais horárias movimentacionais definitiva originada de referência esferográfica de Mauro, o eterno.

"Toda matéria, de características giratórias, possue a semelhança movimentacional equivalente e universal. O padrão internacional deste dispositivo só permite 2 tipos de movimentos. O horário e o anti-horário. Foi descoberto e estabelecido por mim, Mauro, o eterno, que a partir desta data, todos os materiais que convergirem desta universalidade estarão sujeitos a penas previstas nas leis celestiais.

A lei da circularidade consiste na seguinte determinação: para que um dispositivo seja aberto basta girá-lo no sentido anti-horário, ou seja, com força tracional à esquerda. Para fechá-lo, basta realizar o movimento horário, ou seja, o mesmo do relógio, a não ser que ele seja digital, pois digital não tem ponteiro e muito menos movimentos circulares. Se você quiser fazer o movimento contrário do anti-horário, você estará fechando o dispositivo e a recíproca é verdadeira com relação à contrariedade do movimento horário, já que neste caso você estará abrindo o mesmo.

Vale ressaltar que ao realizar o movimento tracional à direita na intenção de abrir algo, você sofrerá uma queda do eqüino, já que, neste caso, você estará executando o movimento horário, aquele do relógio, exceto os digitais e os de cuco, que implica em fechar. Sob nenhuma circunstância o dispositivo fechará caso gire o mesmo no sentido inverso do anti-horário e vice-versa, valendo o mesmo para o versa e vice. Pode ser que esteja enganado porque sempre me confundi com duas coisas na escola: esse negócio de sentido horário e anti-horário e os cálculos de fuso horário. Acho que é por isso que eu sempre perco o horário para trabalhar.

Bom, voltando à teoria, é isso. Girou no sentido horário, fechou. No anti-horário, abriu. Assim como Edir Macedo, é universal. E intransferível, inodoro, insípido e incolor. E tenho dito"

Mas depois eu vi no Google que não fui eu quem descobriu este fato. Já era de conhecimento público. Saco, não serei motivo de obra literária dos grandes gênios da humanidade que vem junto com a Folha de S.Paulo pagando mais R$ 3,50.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O negão da piroca

Pombinha Manca

Pergunta indiscreta