Vou chamar o síndico (crônica retrô)


Este fim de semana, algo pitoresco aconteceu em minha vida. Fui a um prédio de uma amiga de minha noiva para pegar uma caixa de whisky que será utilizado em minha festa de casamento (falta 1 mês gente, que emoção). Combinei o horário e britanicamente cumpri. Peguei o elevador e cheguei ao meu destino. Quando me aproximo da porta, o vizinho sai de casa de uma maneira muito especial: com uma garrafa de Ballantines carregada como se fosse um bebê de colo e na outra mão, um copo com gelo. Seus passos eram semelhantes a de um ser com labirintite avançada tentando participar da dança dos famosos e sua fala estava tão enrolada que parecia um novo dialeto anglo-saxão misturado com árabe-afegão.

Para minha surpresa, descobri que este ser oriundo das adegas do inferno era nada menos que o síndico do prédio. Imagina, então, o que é o resto do condomínio, ou melhor, o SEM domínio. Foram alguns segundos de contato, tempo dele ir até o elevador, mas isso me marcou profundamente. Voltando para casa, já munido com a caixa, pensei em como seria a história de vida deste síndico. E cheguei a algo mais ou menos assim:

Sr. Venceslau (nome fictício) sempre foi um garoto WHISKYsito. Todos na SKOLa caçoavam dele e KAISER todas as meninas o achavam feio. Certo dia ele foi aCAMPARI na floresta do AlaBRAHMA, nos Estados Unidos, com a turma do colégio quando alguém perguntou: Venceslau, se pudesse ser uma revista, qual seria? E ele respondeu: Adoraria serVeja. Voltando do acampamento, Lalau foi visitar sua Vó DKA, que morava no outro lado da SCHINa da sua casa. Sua vó mantinha uma creche que abrigava recém-nascidos e Lalau ajudava sempre, afinal, ele adorava Bebê.

Lalau tinha um lema na vida: "Que a vida seja eterna enquanto Drurys" e não ligava para as pessoas que o julgavam. Comentários maldosos não resPINGAvam nele. Um dia ele se apaixonou por uma linda menina vinda do interior, Kátia Sá, a quem chamava carinhosamente de "Minha Caipirinha". Kátia tinha dois irmãos, o FlaVINHO, que era muito seco com Lalau, e Heitor Rafael, mais conhecido como H. Rafa.

Um dia, Kátia e Lalau foram caminhar na mata e encontraram um senhor cagando atrás da moita. Lalau, assustado, pergunta: Quem está atrás da moita? E o senhor responde: Sou eu, o Velho Barreiro. Kátia, então, surpreendeu a todos e apaixonou-se pelo senhor cagão e fugiu com ele para a Antártica. Ressentido, Lalau mandou-lhe uma carta que dizia: "Te QUI-LA mutcho, mas agora non te que-lo mas. Álcool teceu muita coisa em minha vida. Me apaixonei por sua mãe, a AnDREHER. Ela é baCANA e sempre me dá Leite COM NHAC (pipoca)."

Lalau cresceu, estudou e tornou-se um importante Gerente de quartos de hotéis, o Manager-RUM. A vida deu voltas e logo Venceslau tornou-se querido por todos e naturalmente foi eleito síndico, com número de votos ABSOLUTos. Sua gestão vai durar "DOSE" anos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O negão da piroca

Sábio guru

Pombinha Manca