Eu não sou cachorro, não.


Meu corpo deve produzir, em larga escala, algum odor afrodisíaco....para cachorros. Mas não qualquer cachorro. São cachorros de pessoas que eu não tenho total liberdade para desabafar sobre o constrangimento que sinto diante de tal situação. Especialmente animaizinhos de chefes, direta ou indiretamente.

Antes quero deixar claro uma coisa: eu adoro cachorros, tenho um carinho especial por eles e até penso em adotar um futuramente. Mas, convenhamos, não é confortável perceber que ele sentiu uma atração carnal, sexual, quase canibal por minha perna.

Não sei se é paixão, tesão ou simplesmente percepção que estou sem jeito, mas os cachorros de pessoas que não tenho muita intimidade salivam ao ver as curvas do meu tornozelo erótico. Sabe aqueles desenhos onde predadores olham para uma ovelhinha indefesa e enxergam nelas um apetitoso banquete? Pois é assim que me sinto. Minhas pernas tremem. E quando o cão dá a primeira roçada em mim é o cão. Ele dá uma chave de perna que é difícil tirar.

E sabe o que é pior e mais deprimente? São os cachorros de pequeno porte que se tornam os sexy machines na minha canela. Aqueles fofinhos e peludinhos. É até bonitinho ser um agente do despertar copulativo dos cães alheios, mas eu definitivamente não me sinto preparado para tal responsabilidade. 

E eu não posso dar um chega pra lá, uma bicudinha de leve no queixo para mostrar que sou cachorrão. Ou tornar minha perna um touro mecânico giratório para dar mais emoção ao ato de fornicar. Ou ainda, sem querer, promover uma capação com requintes de torturas medievais. Motivos não faltam para justificar, não é mesmo?

Não bastasse o constrangimento pessoal, geralmente esse ato ocorre na frente do próprio dono, que cai na risada, como se não entendesse minha suplica pessoal para que tal violência sexual parasse imediatamente. Além do dono, outras pessoas riem e praticamente acendem o holofote da vergonha alheia sobre mim, em um zoo stand-up.


Por isso, donos de cães que não me conhecem direito, ao verem que seu cachorrinho se aproxima da minha perna, repreenda-o. Ou pelo menos lixem as unhas deles.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O negão da piroca

Sábio guru

Pombinha Manca