A trágica morte de Lucy


Ontem, em meio a notícias do meio político, violência, esporte e outras que estão em alta, fui acometido por uma informação deveras relevante, ao meu ver: Lucy, a famosa australophitecus que viveu na África há 3,18 milhões de anos, provavelmente morreu ao cair de uma árvore, revelou um estudo científico publicado pela revista Nature.

Algumas particularidades merecem destaque nessa notícia. Na verdade nunca ouvi falar de Lucy, mas para uma mulher manter a sua fama por milhões de anos é que foi importante para a humanidade. Outra coisa que chama a atenção é a sua altura: 1.10m. Praticamente uma pequena notável. E, por fim, mas não menos relevante, foi a demora em apurar o motivo de sua morte: mais de 3 milhões de anos. Aí começam as conspirações: alguém empurrou? Queima de arquivo? Golpe? Nunca saberemos.

Bom, considerando que realmente a queda de uma árvore foi a causa do fim trágico da pequena Lucy, começa a minha revolta e motivo dessa crônica. Não é possível que uma mulher que atravessou eras, membro da extinta e imponente família dos hominídeos, figura-mestre de nossos ancestrais, o ser que originou os humanos, tenha uma morte tão besta. Não, isso não pode ficar assim. Lucy, pode deixar comigo: vou pensar em 5 mortes dignas para propor um novo desfecho à pesquisa da Nature.

1 – Após uma longa pesquisa, constatou-se que Lucy morreu após uma luta de 6 dias e 6 noites, na era pré-cambriana, com um Tiranossauro Rex fêmea, de TPM. Lucy vencia o duelo quando, em um golpe de trairagem, a Tiranossauro chamou o reforço de mais 2.

2 – Analisando fragmentos da coluna vertebral de Lucy, chegou-se à conclusão que Lucy lutou bravamente contra uma chuva de meteoros incandescentes radioativos de diâmetros acima de 1000 km que colidiu com o nosso planeta a uma velocidade média de 899 km/h. Ela sobreviveu aos primeiros 8 mil, mas não resistiu aos cometas que vieram na sequência.

3 – Lucy foi sequestrada por aborígenes selvagens e carnívoros. Após 3 anos em poder da tribo, amarrada, sem comida e torturada, ela conseguiu fugir. Como estava fraca, logo foi recapturada. Lucy, então, foi arremessada ao céu e alvejada com diamantes (isso dá música, hein?).

4 – Após percorrer toda a Pangea, como costumava fazer toda manhã antes de pegar no batente, Lucy foi surpreendida com um forte terremoto que, anos depois, iria formar os nossos continentes atuais. Ela bem que tentou evitar a separação, segurando as placas tectônicas, mas o tremor de 400 graus da escala Richter acabou com sua vida.


5 – Lucy tinha um poder de vidência descomunal. E após descobrir que daria origem a nós, seres humanos, e perceber o que faríamos de nossas vidas, ela decidiu se matar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O negão da piroca

Pombinha Manca

Pergunta indiscreta