Abelha Maia, o spoiler



Fim de semana fui ao cinema com minha filha e sobrinha. O filme era "A abelhinha Maia". Eu adoro animação, me divirto, mas esse filme é chato demais. Sério, dá raiva. Para ter uma ideia, minha sobrinha dormiu e minha filha falava, no meio da sessão: "quero ir embora".
Por isso, só de raiva por ter investido meu dinheiro nessa jossa, vou fazer spoiler. Tô nem aí.
O filme conta a história de uma abelhinha imbecilzinha e chatilda que adora velocidade. Tanto que ela começa o filme apostando corrida em cima de uma libélula, como se a libélula voasse mais rápido que uma abelha. O sonho da Maia é participar dos jogos que ocorrerão numa colmeia vizinha, mas ela nunca foi convidada (talvez por ser muito chata).
Maia tem um grande amigo - que não lembro o nome porque estava bocejando nessa hora -, boboca por sinal, pois acredita em tudo que falam e ainda é lerdo como uma lesma manca, que vai ajudá-la nessa "aventura" (se é que podemos chamar um evento que tem queimada como esporte de jogos).
Depois não sei o que acontece, pois estava cochilando, e a Maia é chantageada em contrapartida de participar. Se ela não ganhasse, metade do mel da sua colmeia seria confiscado (como se fosse um problema, já que abelha produz mais mel do que o Mr Catra faz filhos).
No evento, ela conhece uma abelha estilo "dona da porra toda" que vai tentar sacanear a tonta da Maia. Só que sacanear em filme infantil é coisa do naipe de mostrar a língua ou colocar sal no brigadeiro.
Daí eu cochilei mais um pouco, me distraí com minha filha e perdi o interesse definitivamente, mas no final, a Maia ganha esse eventinho de meia pataca, a abelhinha má vira amiga, o vilão se dá mal, toca uma música (igualmente chata) em que toda colmeia dança e tudo mais que você já sabe de um filme sem graça, que nem a sessão da tarde da Rede TV vai se interessar em exibir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O negão da piroca

Sábio guru

Vaguinha difícil